segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Segunda-feira

Estávamos juntas, caminhávamos pelas ruas, hoje sujas, não sei se pelo que o vendaval arrastou ou por conta dos "santinhos" das eleições. O vento soprava forte, em círculos, emaranhava nossos cabelos, desarrumava a roupa, levantava poeira. Mas era mais do que isso, era triste. Ela justificou a estranheza do dia dizendo que eram os "ventos de íons negativos", os quais ,em alguns países, até justificavam um maior índice de criminalidade. Achei graça, mas quase não duvidei. Era o vento, era domingo. Não sei se deixo ele me levar, acho que não devo, senão é aprisionamento na certa.

"Posso ouvir o vento passar
Assistir a onda bater
Mas o estrago que faz
A vida é curta pra ver

Eu pensei que quando eu morrer
Vou acordar para o tempo
E para o tempo parar

Um século, um mês
Três vidas e mais
Um passo pra trás?
Por que será?"

("O Vento", Los Hermanos)

2 comentários: